Vamos iniciar uma sequência de aulas teóricas voltadas à linguagem de programação utilizada na placa Arduino. A linguagem de programação do Arduino é baseada em C e tudo que for aprendido aqui pode ser usado em qualquer compilador C. Vamos iniciar esta série de aulas abordando o tópico variáveis.

As variáveis são os elementos de um programa que armazenam dados de forma temporária. Ou seja, os dados ficam guardados nas variáveis enquanto o programa está em execução ou a placa Arduino estiver ligada.

Por exemplo, podemos fazer um contador de eventos em nosso programa. Este contador poderia fazer a contagem do número de vezes que alguém aperta uma tecla. Ou poderia simplesmente fazer a contagem de segundos, minutos e horas para podermos fazer um relógio. Neste caso precisamos de uma variável para armazenar o valor do nosso contador.

As variáveis podem ser de vários tipos. No Arduino podemos definir variáveis com os seguintes tipos:

Boleana (bool): variável que possui apenas 2 estados possíveis. Estes estados podem ser:

0 ou 1

LOW ou HIGH

False ou true

 

Char : variável usada para armazenar valor correspondentes aos caracteres da tabela ASCII.

Inteiro (int) : Variável de 2 bytes usada para armazenar números dentro da faixa -32768 a 32767.

Longa (long) : Variável de 4 bytes usada para armazenar números grandes.

 

Cada variável criada dentro de um programa possui um nome que a identifica. Este nome pode ser qualquer um, mas é bom que este nome ajude a identificar sua utilização. No exemplo acima podemos dar o nome contadorEventos a variável que faz a contagem de eventos. Uma restrição que a criação de variáveis tem é que o nome não pode começar com um número.

Para criar uma variável dentro de um programa, utilizamos a seguinte  declaração:

int   contadorEventos = 0;

 

A primeira palavra identifica o tipo da variável, int no exemplo. Este nome tem que ser exatamente igual a que está no exemplo, senão o compilador não identifica o tipo e dá erro. Em seguida colocamos o nome da variável “contadorEventos”. Como já dissemos, este nome pode ter qualquer formato, só não pode começar com um número. Em seguida temos o sinal de igual e o valor 0. Esta é a inicialização da variável. Quer dizer que ao ser criada, a variável assume o valor 0. A inicialização de uma variável não é obrigatória. Em alguns casos a inicialização não é necessária e pode ser eliminada.

Uma  variável pode ser GLOBAL ou LOCAL. As variáveis globais são reconhecidas em qualquer função do programa e são utilizadas para armazenas valores que não podem ser perdidos durante a execução do programa. As variáveis locais são usadas para dentro das funções e seu valor não se mantém quando a função é finalizada.

As variáveis podem ser criada em formato de ARRAY, ou seja uma sequencia de variáveis com apenas um nome e que são indexadas pelo índice. Veja o exemplo abaixo:

 

int   exemplo[10] ;

 

A declaração de variável acima cria uma cadeia de 10 variáveis (ARRAY) com o nome exemplo. Para acessar a primeira variável da cadeia usamos o colchete com o número zero dentro:

 

exemplo[0] = 100;

 

O índice sempre começa com o valor zero e vai até a quantidade de variáveis do ARRAY menos 1. No exemplo acima temos 10 variáveis dentro do ARRAY exemplo que podemos acessar com os índices 0 a 9.